A carreta rodoviária é sua marina sobre rodas; saiba como usá-la bem

Uma carreta tanto transporta quanto guarda um pequeno barco. E pode ser uma mão na roda, se você souber escolher e usar

A grande vantagem de quem tem jet ou barco pequeno é poder guardá-lo na garagem de casa, sobre uma simples carreta, economizando assim o aluguel de vaga na marina e podendo levá-lo para onde quiser, sem longas navegadas. Mas isso também tem seu preço: é preciso estar disposto a transportar o barco para lá e para cá, o que não é tão prático assim, e escolher uma boa carreta, para não correr riscos nem se aborrecer depois. Neste caso, a primeira pergunta a que você deve responder é para onde pretende levar o seu barquinho. Se costuma navegar no mar, a carreta certa será uma de aço galvanizado a fogo, mais resistente à corrosão e que tem cerca de dez anos de vida útil — as de alumínio, madeira ou aço convencional são indicadas apenas para uso em água doce. Depois, verifique se o seu carro é capaz de puxá-la com o barco completo em cima dela, incluindo motor e equipamentos. Caso a carga total não passe de 500 quilos, qualquer carro com motor acima de 1,4 litro resolverá. Para puxar mais que isso, porém, você precisará de uma picape, de preferência com tração nas quatro rodas, e também terá de ter uma carreta com freios próprios. É uma questão de segurança. E de norma de trânsito também.

Não é necessária habilitação especial para pilotar um veículo com reboque — com exceção da Ford F-250 e da Dodge RAM, que já são consideradas caminhões e, por isso, exigem carteira categoria C. A Lei Nacional de Trânsito apenas determina que a largura da carreta (e o que estiver sobre ela) não pode ultrapassar 2,60 metros, medida equivalente à boca de barcos de 25 pés, por exemplo. Cascos maiores só podem ser transportados com autorização especial do departamento de trânsito — mas aí, convenhamos, já está da hora de você providenciar uma vaga na marina, certo? Ao rebocar um barco sobre uma carreta, você aumenta o tempo de viagem (o ideal é trafegar 20% abaixo do limite de velocidade), o consumo de combustível (cerca de 50%) e o custo do pedágio (dependendo do tipo de carreta, paga por um ou dois eixos a mais). Mesmo assim, se seu bote, jet, lancha ou pequeno veleiro não passar de 25 pés e não for usado com tanta frequência, a carreta continua a ser a melhor opção, sob o ponto de vista da economia. Uma carreta om dois eixos e freio próprio, para uma lancha de 20 pés, custa cerca de R$ 4 000 — o mesmo que você pagaria por apenas oito meses de hospedagem numa marina, em média.

Atente, porém, para o fato de que a carreta é um veículo e, por isso, possui documentação e até número de chassi próprio. Está isenta de IPVA, mas deve ser licenciada uma vez por ano, como qualquer carro. Rebocar uma carreta nada tem de complicado, desde que algumas poucas regras de segurança sejam seguidas à risca. Uma delas é dirigir em velocidade bem mais baixa que o limite das estradas. Outra, manter uma distância consideravelmente maior que a costumeira do veículo à sua frente, porque o espaço que uma carreta exige nas freadas é o dobro do que bastaria para um carro sozinho. Por fim, respeite sempre a relação entre a potência do carro e o peso a ser rebocado, como indicamos no quadro acima. 

Antes de pegar a estrada…
… Cheque se os tanques de água e de combustível do barco estão vazios, porque aumentam demais o peso.
… Lubrifique o mecanismo que prende a ponteira da carreta ao engate do carro a cada 15 dias. 
… Confira sempre o estado dos rolamentos das rodas da carreta. Eles devem ser trocados uma vez por ano, para evitar que as rodas do reboque se soltem. E soltam mesmo!
… Amarre muito bem a proa e a popa do barco à carreta. Lembre-se de que, em freadas bruscas, o barco tende a ir para cima do automóvel. 
… Para a carreta, dê preferência a tipo e tamanho de roda iguais aos do carro, porque assim não será necessário levar um estepe extra só para ela. 
… Use uma corrente para prender a carreta ao engate do carro, para o caso de a ponteira do reboque se soltar. 
… Retire os estofamentos soltos do barco, porque o vento pode fazer os bancos voar pelo caminho. 

 

Como deve ser uma boa carreta
1 – Guincho
 
Devem-se usar roldanas de plástico no apoio dianteiro do barco. 

2 – Berço
São as vigas de apoio longitudinais ou transversais. Deve haver, pelo menos, duas.

3 – Para-lamas
Obrigatórios por lei, devem ser resistentes, pois poderão servir de apoio para subir na embarcação.

4 – Rodinha dianteira
É bom ter, porque ajuda nasmanobras em terra. Há rodinhas com regulagem de altura, que até deixam a popa mais baixa que a proa, para a drenagem da água após os passeios. 

5 – Guias laterais
Também chamadas de balizas, devem ser revestidas com plástico ou carpete, para não danificar o casco. 

6 – Placa Própria
Por ser um veículo, toda carreta tem documentação e número próprio de chassi. Deve ser licenciada todo ano, mas não precisa pagar IPVA. A Polícia Rodoviária Federal costuma ser implacável com carros com reboque. 

7 – Encosto dianteiro
Devem-se usar roldanas de plástico no apoio dianteiro do barco. 

Tamanho certo
Pelas leis de trânsito, a carreta precisa ter, pelo menos, um centímetro a mais que o comprimento do casco e seu motor. 

Rebocador
Antes de escolher o carro, lembre-se de que a capacidade de carga deve ser a soma do peso do casco, do motor e o da própria carreta. 

Reprodução Revista Náutica
 

Os cuidados ao dirigir
Rebocar não é difícil. Mas algumas coisas mudam

1 – Ultrapassagem
Lembre que estará dirigindo um conjunto que equivale a, no mínimo, dois veículos. Avance bastante antes de tomar a frente do ultrapassado. 

2 – Curva
A tendência da carreta é ir para dentro da curva. Por isso, faça o contorno bem aberto, com o maior raio possível. 

3 – Frenagem
Dirija sempre 20% abaixo do limite de velocidade e garanta um espaço 100% maior que o necessário para o carro parar. 

4 – Manobras
Em marcha a ré, a carreta vai para o lado oposto ao do veículo. Treine antes e tome muito cuidado.

Por Otto Aquino
Da revista Náutica nº 247

3 thoughts on “A carreta rodoviária é sua marina sobre rodas; saiba como usá-la bem

  1. Alguem poderia me dizer se é proibido por lei transportar canoa de 5 mts, em carreta que não seja a modelo prancha, ou seja, aquela carreta com bordas altas e é utilizada também para transportar cargas diversas, como verduras e outros?

  2. Atenção ao peso do veículo + peso da carreta de até 3500kg para categoria B
    Para categoria c ou d o peso do reboque, independente do peso do veículo vai até 6000kg.
    para quem possui categoria E pode rebocar qualquer peso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s