Comprando o primeiro barco

Todo mundo que tem um barco já passou por esta experiência. Alguns se deram bem, outros, nem tanto e alguns até se deram muito mal. Mas, como devemos proceder para comprar um barco e não se arrepender depois? Escolher e comprar um barco não é uma tarefa fácil. Um barco não é um bem barato e o simples fato de não o ser, requer muita atenção na hora da compra.

O primeiro passo é saber para quê você vai usá-lo
Dentre os potenciais compradores, há aqueles que já sabem o que querem, entretanto, para a grande maioria, a escolha do primeiro barco é sempre complicada porque nem sempre eles tem certeza do que irão fazer com o barco (lazer, regata ou cruzeiro).

Se o comprador seguiu um ritmo normal de aprendizado, ou seja, velejou em monotipos, fez os cursos de Arraes e Mestre amador e de Vela Oceânica, costuma ler as revistas especializadas e já praticou em diferentes tipos de embarcações, ele já terá uma boa noção do que ele irá fazer com o barco e quais as opções disponíveis no mercado, mas mesmo assim, vale a pena ter cautela. A condição de manutenção de uma embarcação não está relacionada ao nível de aprendizado de quem irá comprá-la e sim em saber detectar a qualidade da mesma.

O estado de conservação e manutenção de um barco é muito importante por que mexe com o bolso do comprador. Gastar todo o dinheiro disponível na compra e não reservar um valor razoável para futuras manutenções (casco, velas, motor, equipamentos, etc.) é coisa de principiante e pode comprometer seu futuro como proprietário.

Os barcos de regata e cruzeiro são geralmente os que dão mais despesa. Se o barco é para correr regatas, tenha em mente que haverá um desgaste muito grande dos equipamentos, principalmente velas.

Se o barco é para cruzeiro, procure planejar os gastos necessários para equipar o barco para esse fim (piloto de vento e/ou automático, radar, SSB, balsa, etc.) Barcos que navegam em águas oceânicas precisam de uma série de equipamentos que não são obrigatórios para regata e lazer.

Um dos pontos mais preocupantes nesta hora é a pressa em satisfazer um desejo de consumo. O cliente geralmente fica cego querendo somente usufruir deste bem sem pensar em questões mais praticas como estado de conservação, preço das peças de reposição, custo de manutenção (travelift, estadia, materiais, mão-de-obra, etc.) e principalmente valor de revenda futura.

Por tudo isso, consultar um especialista na área é fundamental. Hoje em dia existem vários revendedores de barcos que podem ajudar na compra do barco ideal para você.

Outra opção é a contratação de um inspetor ou survayor. Este profissional realiza uma inspeção completa na embarcação que você desejar, checando itens que são fundamentais para sua segurança na hora da compra. Esta figura é bem diferente de um eventual amigo que já possui uma embarcação e irá lhe “ajudar” na hora da compra. O survayor faz um trabalho profissional, ele é contratado por você e trabalha a seu favor, lhe ajudando a decidir ou não pela compra e ajudando até a negociar um preço melhor pelo seu “futuro” barco.

Bons ventos.

André Homem de Mello
Revista Náutica

 

 

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s