Enjôo: Uma série de dicas para você (tentar) não marear

Remédios são como o próprio mal-estar: em alguns casos resolvem, em outros não

Da Revista Náutica

Uma pessoa sente náuseas apenas porque aquilo que vê está em desacordo com o que o resto do corpo sente. Trocando em miúdos: enquanto o sentido da visão informa que você está parado, o labirinto (que faz parte do ouvido interno e dá noção de equilíbrio) e as articulações do seu corpo dizem que você está em movimento. Isso provoca uma desorientação espacial e, conseqüentemente enjôo.
Como (querer) evitar
Além de comer com moderação, não beber bebidas alcoólicas e dormir bem (o descanso é fundamental), você pode se prevenir tomando medicação antiemética (contra enjôo), antes de embarcar. O problema é que esses remédios dão sono e, assim, seu passeio pode ir por água abaixo do mesmo jeito. Uma vez a bordo, não fique dentro da cabine! Vá para o convés e olhe só o horizonte, longe da fumaça do motor e do cheiro de combustível. 
A boa notícia é…
O cérebro é capaz de se adaptar a esse desencontro de informações, causador do enjôo. Por isso, o mal-estar costuma passar após um tempo a bordo, permitindo até dispensar a medicação antienjôo. Isso se aplica à maioria das pessoas. Outras, porém, possa nunca se acostumar ao balanço do mar e continuar mareadas, mesmo depois de passara a vida inteira na água.

Mas, se o pior acontecer…
Quando o enjôo chega, não há mais remédio. Literalmente. Mas deve-se evitar a desidratação, que pode piorar muito a situação. Beba muita água. Se as náuseas não passarem e forem muito fortes, é melhor retornar à terra firme. E, se for vomitar, faça isso só no bordo de sotavento (lado por onde o vento “sai” do barco). Caso contrário, todo o resto da tripulação irá marear também!
O vale-tudo para ficar bem
Dramin, Dramamine, Plasil e adesivos de escopolamina importados (estes vendidos com o nome de Transderm Scop, pela Trade Farm, tel. 11/5539-6677, numa caixa com 4 adesivos para usar atrás da orelha e que duram até 3 dias cada). Vale-tudo para combater a náusea. Mas quem prefere os métodos naturais pode tentar o mel, a menta ou o gengibre (este, em chás, balas ou cortado em fatias). Outra opção são as pulseiras Sea-Band, que prometem evitar o mal pressionando pontos específicos de do-in nos pulsos (na Velamar, em São Paulo, tel. 11/3085-1633). Em alguns funcionam, em outros não. Como o próprio mal estar causado pelo balanço do mar.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s